Saúde

Estudo australiano sugere que o veneno da abelha pode curar câncer de mama

2020-09-23

author:

Estudo australiano sugere que o veneno da abelha pode curar câncer de mama

Com todos os avanços científicos e tecnológicos que temos hoje disponíveis, a humanidade ainda não encontrou a solução para o câncer, no entanto, um estudo australiano sugere que ela pode estar na própria natureza. De acordo com pesquisadores do Instituto Harry Perkins de Pesquisa Médica em Perth, o veneno da abelha pode curar o câncer de mama.

veneno de abelha cancer de mama 1 jpg

Considerados os seres vivos mais importantes do planeta, os benefícios que estes insetos trazem à natureza são muitos. Desde a polinização, produção de desinfetantes naturais e o mel, nós não dependemos delas apenas para nos alimentar, mas para matar células do câncer de mama.

veneno de abelha cancer de mama 2

O estudo mostrou que o veneno de abelha matou 100% dos tumores de mama triplo-negativos e células cancerosas em camundongos dentro de 60 minutos de sua administração. Isto porque, o principal componente presente no veneno, chamado de melitina, é capaz de matar rapidamente células cancerosas agressivas e difíceis de tratar.

veneno de abelha cancer de mama 3

Além disso, o uso de melitina combinada com drogas quimioterápicas existentes, tem se mostrado extremamente eficaz na redução do desenvolvimento de câncer em ratos. No procedimento utilizado, os pesquisadores, após extrair o veneno das abelhas, reproduziram sinteticamente a melitina e verificaram que a versão sintética também proporcionava a maior parte dos efeitos anticâncer do veneno das abelhas.

teste em laboratorio

Ainda em fase inicial, o estudo precisa de mais testes, mas os resultados parecem realmente encorajadores, especialmente porque a descoberta pode levar ao desenvolvimento de um tratamento clinicamente eficaz contra tumores. Mais uma vez, viva as abelhas!

 

Fotos: Unsplash

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.

 
Comentários do Facebook