Animais

Quase extinto há 40 anos, população de pássaro mais raro do mundo aumenta 30%

2020-06-30

author:

Quase extinto há 40 anos, população de pássaro mais raro do mundo aumenta 30%

Naturais da Nova Zelândia, os pássaros black stilt, conhecidos no Brasil como ‘pernilongo-da-nova-zelândia’, são considerados os pássaros mais raros do mundo. Próximo da extinção, como resultado de mais de quatro décadas de luta para recuperar a espécie, a boa notícia é que sua população aumentou 30% e hoje conta com 169 indivíduos, o maior aumento em quase 40 anos.

pássaro Kakī nova zelândia 1

Mas isto só foi possível graças ao trabalho do Programa de Recuperação de Kakī do Departamento de Conservação da Nova Zelândia em parceria com a Global Wildlife Conservation. Kakī é o nome da espécie em Māori, língua predominante no país até metade do século 19. Entre todas as características intrigantes deste pássaro, ele é a única espécie migratória que se reproduz nos alpes do país, região mais alta e fria, onde o termômetro chega a marcar 20 graus negativos.

pássaro Kakī nova zelândia 2

Um dos países que lideram a conservação da biodiversidade, a cientista chefe e CEO da GWC Wes Sechrest comemora a conquista: “O compromisso da Nova Zelândia de reverter o declínio e a extinção de espécies nativas mostra sua liderança na conservação da biodiversidade”, explicou. No entanto, além da ação do homem, foi sobretudo a introdução de predadores não-nativos, incluindo furões, gatos e ratos selvagens, que dizimou a população do black stilt. Em 1981 restavam apenas 23 pássaros adultos! Portanto, o objetivo do projeto é proporcionar um ambiente mais seguro a estes pássaros, que são bons indicadores para a recuperação futura da fauna e flora nativas do ecossistema da Nova Zelândia.

pássaro Kakī nova zelândia 3

Para que hoje a população aumentasse consideravelmente, foi preciso uma série de esforços conjuntos, entre eles a criação em cativeiro. Atualmente, a instituição possui 116 jovens e 11 pássaros mais velhos sob seus cuidados, sendo que todos os outros já foram liberados na natureza. Isto costuma acontecer quando eles completam 9 meses. “Com esses esforços impressionantes, esperamos ver os kakī se juntando às espécies que foram trazidas com sucesso da beira da extinção, incluindo o furão de patas negras, o condor da Califórnia e os micos-leões-dourados”, disse Sechrest.

 

 

Fotos: New-Zealand Department of Conservation 

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube

Comentários do Facebook