Sustentabilidade

Ser vegetariano é a melhor coisa que você pode fazer contra o aquecimento global

2019-08-23

author:

Ser vegetariano é a melhor coisa que você pode fazer contra o aquecimento global

O aquecimento global é resultado de incontáveis ações irresponsáveis do homem e do consumismo exagerado e neste caso a carne é a grande vilã. Segundo relatório da ONU, o consumo da carne está diretamente ligado ao aquecimento global. Isto quer dizer que, se quisermos combater as mudanças climáticas, devemos diminuir – e muito, a quantidade de carne produzida e consumida.

O relatório foi divulgado no dia 8 pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), parceiro da ONU contra o combate ao aquecimento global. Uma pesquisa como esta abre uma larga discussão sobre nosso papel no mundo. Realmente precisamos de carne? Segundo dados do Deter – Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real, no último ano o desmatamento da Amazônia aumentou 278%. E o que isto tem a ver com o consumo de carne? No pulmão verde do planeta, florestas inteiras vêm sendo substituídas por pastos de grandes empresas produtoras de carne, como a AgroSB Agropecuária.

vegatarianismo 2

Estudos mostram que a pecuária bovina é responsável pela emissão de pelo menos 50% dos gases estufa. O aumento da concentração desses e de outros gases na atmosfera intensifica o efeito estufa, pois eles absorvem uma parcela da radiação infravermelha, aumentando a temperatura do planeta e causando o chamado aquecimento global.

vegatarianismo 3

No entanto, o aquecimento global é a consequência da produção desenfreada de carne (O Brasil é o maior exportador de carnes do mundo). Os agentes causadores são o desmatamento, as queimadas, a digestão dos animais e o altíssimo consumo de água no processo.

vegatarianismo 4

Resumindo, a melhor coisa que você pode fazer pelo planeta é parar de comer carne!

 

Fotos: Unsplash

 

Gostou do artigo?

Siga a gente no Instagram.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.

Comentários do Facebook